Página Principal
 
 
menu principal
28 de Julho de 2017 | 07:55    - 1 Utilizador Online
 
 
LOGIN
   
 
   
 
NEWSLETTER
   
 
CALENDÁRIO
 

 
 
 
 
Como nasceu
 
 
IMAGENS QUEM SOMOS
  • Clique para Ampliar
  • Clique para Ampliar
  • Clique para Ampliar
  • Clique para Ampliar
  • Clique para Ampliar
  • Clique para Ampliar
   

Com a preocupação comum do desenvolvimento desta terra e seu bem-estar e dos seus moradores,

- Francisco José Valongo,

- Francisco Júlio Antunes,

- e Joaquim Martins

 

decidem, numa reunião realizada a 15 de Julho de 1956, iniciar a construção do edifício que é hoje a sede da atual Associação Social e Cultural da Marteleira.

 


Tendo hospedado, nos primeiros tempos, a praça, o espaço depressa se transformou num ponto de encontro e de convívio, onde as atividades recreativas já tinham direito a palco.
Passado algum tempo, a iniciativa deste grupo de amigos deu origem ao aparecimento do Grupo Recreativo Marteleirense, cujos primeiros estatutos foram discutidos e aprovados em assembleia geral realizada em 10 de Maio de 1965, os quais foram aprovados pelo Governo Civil do Distrito de Lisboa, como consta no Alvará nº3/1967.

 


Apesar da sua denominação oficial, a associação popularizou-se sob a designação de "Clube", tendo os seus estatutos sido atualizados e aprovados em assembleia em 9 de Junho de 1990, embora nunca tenham chegado a ser registados.
Face à necessidade de renovar os estatutos fundadores, a assembleia geral de sócios aprovou em 5 de Maio de 2001 os novos estatutos da associação, assim como a sua nova denominação e logótipo.
Assim, por proposta da direção, a associação passou a designar-se Associação Cultural e Social da Marteleira, tendo os seus novos estatutos sido registados na Conservatória da Lourinhã em 7 de Dezembro de 2001 e publicadas no Diário da República de 29 de Janeiro de 2002.

 

PRINCIPAIS ATIVIDADES

Datando a sua fundação de uma época em que poucas eram as distrações, não havendo ainda na altura sequer televisões, a associação desenvolveu, numa primeira fase, essencialmente atividades recreativas.

Os teatros e bailes vieram juntar-se a projeção de filmes com o cinema ambulante, tendo o teatro também conquistado alguma importância. Todavia, foram os bailes que, na segunda metade dos anos 70 e início de 80, fizeram do então "Clube" um espaço de convívio cuja reputação ultrapassou os limites do concelho da Lourinhã.


A vulgarização da frequência das discotecas, assim como a crescente facilidade de deslocação, depressa vieram, no entanto, pôr fim a um período marcado por um certo sucesso.
A consciência crescente da importância de reforçar a ligação dos mais jovens à sua terra levou ao incremento de atividades a eles particularmente destinadas, num trabalhado em articulação com a Escola do 1º Ciclo, assim como com a Igreja, nomeadamente no âmbito da catequese.

No âmbito do desporto, o futebol 11 teve nos anos 70 e 80 uma grande importância, tendo a inscrição do Grupo Recreativo Marteleirense na Associação de Futebol de Lisboa sido formalizada a 19 de Agosto de 1988.
No final dos anos 70 nasceu também uma equipa de futebol feminino que participou em vários torneios nos concelhos fronteiros e que, pela novidade, atraía bastante assistência aos jogos.
Nos últimos anos a visibilidade desta modalidade desportiva ficou-se a dever essencialmente aos mais jovens e àqueles que neles continuam a apostar, tendo a associação vindo a participar nos torneios concelhos de futebol juvenil.



Na segunda metade dos anos 70, o atletismo conquistou grande popularidade, tendo sido muitas as provas realizadas na Marteleira, contando algumas delas com a presença de notáveis desta área, nomeadamente Carlos Lopes.
Para tal muito contribuíram iniciativas governamentais como "O quilómetro do Natal", nas quais eram selecionados atletas que representavam posteriormente o seu concelho em provas nacionais que decorriam no Estádio Nacional. A existência de um Marteleirense na equipa de atletismo do Sporting daquela época também contribuiu para popularizar esta modalidade.


A um facto similar se deve o aparecimento e posterior incremento do Karaté na Marteleira. A prática desta modalidade, que se desenvolve em torno do Mestre Délio Antunes, teve o seu início em meados dos anos 70, com a presença também de praticantes femininos.
Após um período de ausência, o Karaté voltou a ganhar importância nos dias de hoje, estando a associação inscrita na ADK (http://www.adkportugal.com/).

Para além destas atividades, a associação sempre foi um espaço aberto à colaboração com outras entidades:

- Escola,

- Junta de Freguesia,

- Igreja,

- etc.

tendo funcionado nas suas instalações diversos cursos:

- Arraiolos,

- Pintura de azulejos,

- Informática,

- Primeiros socorros, 

- Jornadas da Igreja,

- etc.



Consciente da importância da informação para o mundo de hoje, a associação tem também promovido pequenas palestras sobre temas da actualidade, como por exemplo:

- A qualidade da água,

- A prevenção do consumo de drogas,

- A sida,

- etc.

De destacar, neste âmbito, a "Semana do Euro", durante a qual foi dada formação a pequenos grupos, tendo havido uma boa adesão por parte dos idosos. 


Nestes últimos anos o trabalho de equipa e os laços de amizade têm-se desenvolvido muito em torno das marchas populares, promovidas pela Câmara Municipal da Lourinhã.
Para além da participação no encontro anual concelho, a Marcha da Marteleira tem mantido intercâmbios com as marchas de outras localidades do Concelho Nadrupe, Abelheira e Ribamar, assim como com o concelho de Pinhal Novo, proporcionando saudáveis momentos de convívio com gentes de outras terras.

 


PATRIMÓNIO

Para além da sua sede na Avenida 1º de Janeiro, no centro da localidade, a Associação Cultural e Social da Marteleira possui um Campo de Futebol com balneários, bar e túnel de acesso, uma Casa de Apoio às Festas que ocorrem no Largo de S. Sebastião assim como à Feira Anual com cozinha, arrumos, bar e casas de banho e um terreno onde está a ser construído o novo espaço desportivo com Piscina Coberta.
Excetuando o Campo de Futebol que foi doado, todo o património da associação foi adquirido com os lucros das festas por si promovidas, com especial realce para a Festa em Honra de Mártir São Sebastião, em Agosto, que constitui o grande momento de encontro das gentes da terra.

 

De realçar que a associação doou à Casa do Povo da Lourinhã uma parcela do seu terreno para a construção daquele que é hoje o Jardim de Infância da Casa do Povo da Lourinhã, em frente ao qual estão a decorrer as obras para o futuro espaço desportivo.

 



PROJETOS / OBRAS EM CURSO

A grande aposta da associação é levar a bom porto a construção do seu novo espaço desportivo, situado em frente ao referido Jardim de Infância, sendo este constituído por Piscina Coberta, Ringue Descoberto, Área Ajardinada e Estacionamento.
As obras foram iniciadas com o dinheiro obtido nas últimas festas anuais (60 mil euros aproximadamente), tendo sido apresentada, através da Câmara Municipal da Lourinhã, uma primeira candidatura para obtenção de apoios para a construção de uma Sala Polivalente, Balneários de Apoio ao Ringue, Casas de Banho Públicas, Bar e Escritório.





APOIOS

Para além do apoio da população em geral, que contribui com os seus donativos sempre que para isso é solicitada, a Associação tem merecido o apoio da Junta de Freguesia da Marteleira, da Câmara Municipal da Lourinhã e do Governo Civil de Lisboa, o qual se tem traduzido na atribuição de alguns subsídios.

 
   
 
Todos os Direitos Reservados - Associação Cultural e Social da Marteleira © 2017   |   Produzido e Desenvolvido por KreativeBUG©